Google tem problemas com política de privacidade

A gigante das buscas enfrenta um dos mais complexos dilemas para continuar crescendo: a política de privacidade.

Transformar dados obtidos dos usuários em receita para empresa, transcende as liberdades individuais do ser humano.

Este é um dos problemas encontrados nos Estados Unidos e Europa. Por lá, legislações mais rígidas impedem a utilização comercial dos dados, sem o consentimento dos usuários.

política de privacidade

Organizações e grupos defensores da privacidade online, estão travando um duelo com o Google. Confira um dos mais acalorados embates, publicado pela Geek:

No início de abril, Eric Schmidt, CEO da Google, recebeu uma carta aberta de grupos defensores de privacidade, que indicavam que a página principal do mecanismo de buscas da empresa não estava em conformidade com uma lei americana, a California Online Privacy Protection Act.

Esta lei afirma que qualquer operação comercial online, que colete informações pessoais sobre seus usuários deve inserir sua política de privacidade no site.

Google vs Política de Privacidade

O grupo composto por organizações como a World Privacy Forum, a Electronic Privacy Information Center e a ACLU-NC, está inconformado com o fato de que a Google tenha dedicado um link para a política de privacidade “escondido” dentro de uma página com informações sobre a empresa.

O Google se defende dizendo que isto não é um problema. Uma porta-voz da companhia afirmou que o link que está a um clique de distância da capa do serviço e que pode ser encontrado inclusive pela caixa de busca.

O Gabinete de Proteção à Privacidade californiano recomenda que a companhia coloque, sim, um link em sua página inicial, colaborando com uma prática padrão na indústria.

Para muitos, é claro que a Google, na realidade, não queira estragar sua bela e limpa home page. O próprio Larry Page, co-fundador da empresa, não quer um link feio sujando “a linda e limpa página inicial que temos”.

Além de “esconder” os termos de privacidade, a Google é criticada por manter os endereços IP da busca por 24 meses e tem sido vista por muitos como arrogante.

Neste cenário, como resolver o impasse entre empresa e usuários?

Gostou? Compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *